3 de nov de 2006

Fragmento de "Altazor" Vicente Huidobro


Do Canto I

(...)

Sou todo homem
O homem ferido sabe-se lá por quem
Por uma flecha perdida do caos
Humano terreno desmesurado
Sim desmesurado e proclamo sem medo
Desmesurado porque não sou burguês nem
raça fatigada
Sou bárbaro talvez
Desmesurado enfermo
Bárbaro limpo de rotinas e caminhos marcados
Não aceito vossas selas de segurança cômodas

Sou o anjo selvagem que caiu certa manhã
Em vossas plantações de preceitos
Poeta
Antipoeta
Culto
Anticulto
Animal metafísico carregado de tormentos
Animal espontâneo direto sangrando seus problemas
Solitário como um paradoxo
Paradoxo fatal
Flor de contradições bailando um fox-trot
Sobre o sepulcro de Deus.

(...)


Trad. Antonio Risério e
Paulo C. Souza

Contribuição: Liana

Nenhum comentário: